Arredores

“Caia na estrada” - O Rio de Janeiro é mesmo abençoado, suas belezas naturais vão muito além da capital. Seja ao norte ou ao sul do estado, as opções são as mais variadas, destacando-se as cidades praianas e serranas. Veja abaixo as principais cidades turísticas do Estado:

Arraial do Cabo

Localizada a 160 Km da cidade do Rio de Janeiro, limitando-se ao Norte com Cabo Frio e a Lagoa de Araruama, e ao sul e leste com o Oceano Atlântico e a Oeste com a cidade de Araruama. Situada em uma região privilegiada pela natureza com seus 35 km de praias, excelente para banhos e para a prática de esportes náuticos em geral. Recebeu o título de “Paraíso do Atlântico”, e é conhecida como a Capital do Mergulho. O pesquisador e mergulhador francês Jacques Cousteau, ficou em sua visita, maravilhado com as praias de Arraial do Cabo, de águas azuis e cristalinas. Suas praias, lajes e ilhas são excelentes para pesca, possuindo grande variedade de peixes, onde grande parte de sua população vive e comercializa do pescado. A riqueza da fauna e flora marinhas da região é explicada pelo fenômeno da “Ressurgência”, que consiste no afloramento das águas das correntes frias profundas originárias do Pólo Sul, ricas em nutrientes que integram a cadeia alimentar dos animais microscópicos, que por sua vez, alimentam outros animais maiores. Arraial do Cabo tem uma estrutura de um grande centro turístico, sem perder as características da vila de pescadores, que compartilhada com a natureza, faz do município um cenário espetacular, com um potencial turístico e uma geografia privilegiada.

Algumas dicas: Não deixe de ir à Ilha do Farol, você vai entender porque esta praia já foi eleita a mais bonita do Brasil. Vá também à Praia do Forno, prainhas do Pontal do Atalaia, e aproveite para ver o pôr do sol do Pontal, com certeza um dos mais bonitos do país. Não deixe de fazer o passeio de barco até a Gruta Azul, é muito legal porque você vai poder mergulhar nas prainhas do pontal e na Ilha do Farol, além do visual fantástico do mar de Arraial, e a inesquecível passagem pelo Boqueirão. Sugestões de pousadas: Caravela - No Centro, é simples, porém, limpa, organizada e com bons preços. A praia mais perto é a Grande, dá para ir a pé. Existem ótimas pousadas fora do Fora do Centro, algumas próximas à Igreja de Nossa Senhora dos Remédios, à esquerda da Praia dos Anjos, e muito próximo da Praia do Forno, e outras no Pontal do Atalaia. Porém, neste último você vai precisar muito do carro, mas o visual compensa.  As pousadas Tantomar eSentinelas do Mar são boas opções no Pontal.

+Fotos e dicas de Arraial do Cabo

 

Búzios

Localizada a 180 km da cidade do Rio de Janeiro. A península da Armação dos Búzios, fica ao norte de Cabo Frio, se estendendo sobre o Oceano Atlântico, numa extensão de 92 km 2. Paraíso natural rodeado por um mar verde e cristalino, constituído por 23 praias badaladas em todo mundo. As praias com água morna ficam localizadas do lado norte, isto porque recebem correntes marítimas do Equador, e as com águas frias ficam do lado sul, por receberem as correntes marítimas do Pólo Sul, atendendo assim as mais rigorosas exigências de seus apreciadores. Búzios apesar de ser uma das cidades mais procuradas pelos turistas, conseguiu preservar sua beleza natural e permanecer com seus segredos e encantos. As suas Ilhas são de uma beleza sem igual. A Ilha da Âncora, localizada a leste da península, a Ilha do Caboclo, fica situada na fronteira do porto da Armação, a Ilha Feia, convém ressaltar que este nome não é justo a esta bela ilha, fica situada em frente à Praia de Manguinhos, a Ilha Rasa, fica localizada em frente à Ponta do Pai Vitório, que hoje é ocupada pelo Nas Rocas Club Hotel. Búzios hoje possui sofisticação e infra-estrutura, com lojas de “grifes” nacionais e internacionais, restaurantes, pousadas e hotéis de categoria internacional, atendendo às mais rigorosas exigências, o que lhe confere um encanto especial.

Algumas Dicas: Se você não conhece Búzios ou conhece pouco, hospede-se no Centro ou no Alto do Humaitá. É mais confortável porque você fica próximo das principais atrações, podendo ir a pé para a Rua da Pedras, e até mesmo a algumas praias, como a dos Ossos e Azeda. Dar dicas de Búzios é complicado, porque lá é “tudo de bom”, então, a principal dica é vá e divirta-se. Mas atenção, não deixe de passear pela Orla Bardot eRua das Pedras, tomar um café e até mesmo curtir um cineminha no Gran Cine Bardot, jantar no restaurante doDavi  ou no gostoso quilo Buzzin, deliciar-se com os crepes do Chez Michou, curtir uma boa música no Havana, ou na doidera do Takatakata, apreciar o pôr do sol nas praiasAzeda e Azedinha (foto acima), pegar onda e tomar um Açaí em Geribá, curtir a vista do Mirante, passear deescuna, mergulhar em João Fernandinho, tomar uma caipirinha apreciando novamente o pôr do sol na praia daTartaruga… Uma dica legal é fazer um tour no Trolley, um caminhão adaptado para levar turistas. Ele passa por 12 praias e 2 mirantes, com direito a sucos e frutas tropicais a bordo. See you in Búzios. Sugestões de pousadas: Ilha Formosa - Fica no início da Rua das Pedras, e de frente para o mar. Não tem estacionamento, como a maioria no centro, mas na rua ao lado pode-se estacionar com segurança. Saint Germain - Essa é no alto do Humaitá, local calmo e estrategicamente localizado entre a Rua das Pedras e o centro antigo de Búzios. É legal porque dá para ir a pé para a badalação à noite e para algumas praias de dia, como Ossos, Azeda e Azedinha.

+Fotos e dicas  de Búzios

 

Cabo Frio

Localizado a 155 km da cidade do Rio de Janeiro, num percurso de apenas duas horas de viajem. Com clima semi-árido, agradável durante todo o ano, sendo banhado pelo Oceano Atlântico e pela Lagoa de Araruama. Suas praias e dunas exuberantes, de areia branca e fina, refletida pelo sol durante o dia e a lua ao anoitecer, proporcionam momentos inesquecíveis, e oferecem excepcionais condições para o descanso e contemplação à natureza. Cabo Frio possui em seu litoral, praias de águas azuis e cristalinas de areia branca e muito fina. Suas praias permitem a prática de várias modalidades esportivas, como o iatismo, entre outros. As ondas que se formam são excepcionais para o surfe, e a exuberância de sua fauna e flora marinha, proporcionam a prática do mergulho.

Algumas Dicas: Vou ficar devendo umas boas dicas de Cabo Frio, isso porque há muito tempo não vou  lá, e pelo que sei a cidade está muito mudada. Praias antes desertas, como Peró, agora já tem até shopping. Cabo Frio é uma cidade relativamente grande, se comparada às demais da região. Então, se você não dispensa a comodidade de comércio abundante, shoppings, lojas e restaurantes sofisticados, além de belas praias, com certeza vale uma visita.

 

Praias ao Sul

A região sul do estado é show, principalmente as praias. Viajar pela Rio-Santos vai te levar a conhecer verdadeiros paraísos.

 

Ilha Grande

A maior e mais bonita ilha de Angra dos Reis continua encantando os visitantes, muitos dos quais europeus. A mistura de abundante mata atlântica preservada com as mais de 80 praias é perfeita. Lindas praias, como a de Lopes Mendes, que já foi eleita uma das dez mais bonitas do Brasil, trilhas que levam a mirantes e cachoeiras, simpáticos restaurantes e pousadas, ausência de automóveis, lá não circulam veículos motorizados, deixam o turista totalmente descontraído e relaxado para aproveitar este verdadeiro paraíso. Nem parece que fica entre as duas maiores cidades do país, Rio e São Paulo, tamanha  a paz que reina na ilha. A ilha possui várias vilas, sendo Abraão a principal, e ideal para quem está indo pela primeira vez, visto ter melhor infra-estrutura. De lá pode-se conhecer as praias mais desertas, preferencialmente de barco, procure a associação dos barqueiros na Rua da Praia. Dois passeios de barcos são obrigatórios, são eles: O da Lagoa Azul, onde você poderá mergulhar em águas cristalinas, dentre outras praias, e curiosidades como o cemitério dos piratas que usavam a ilha para atacar os navios carregados de ouro que partiam de Paraty. O outro, é o passeio rumo a enseada do Saco do Céu, que tem esse nome porque de tão tranqüila,  à noite ela espelha perfeitamente o reflexo do céu em suas águas, e a famosa Lopes Mendes. As caminhadas são outro atrativo da ilha, e se você tiver disposição, dá pra ir até as ruínas do antigo presídio, e também outros lugares muito legais. As trilha são bem sinalizadas, mas se for pra longe, aconselho contratar um guia credenciado.

Algumas Dicas: A noite é muito animada, principalmente na Rua da Praia, onde sempre tem forró na rua ou nos restaurantes. Ah, pra chegar na Ilha a melhor opção é usar as barcas da antiga Conerj, a partir de Mangaratiba ou Angra. Partindo do Rio, Mangaratiba é mais perto uns 40Km, mas atenção que os horários são diferentes. Bom, vai lá e me diz o que você achou. Sugestão de pousada: Juliana, bons preços, localização, infra-estrutura e atendimento.

+Fotos e dicas da Ilha Grande

 

Trindade

Ponta da Trindade é uma belíssima vila de pescadores situada a 30Km de Paraty, dentro da APA do Cairuçú, mais precisamente no Km 268 da Rio-Santos. O acesso é feito pela estrada do “Deus me livre”, que depois de asfaltada já não merece esse nome. Para quem curte praias lindas e desertas (evite feriados), trilhas, acampar, surfar, mergulhar, cachoeiras, e principalmente, esquecer o carro na pousada e fazer tudo isso a pé, esse é o lugar.

Algumas Dicas: Na década de 70 foi reduto hippie, mas ainda hoje preserva o jeitão meio “flower power”. Quem vai para Trindade prefere o luar na praia a aproveitar a noite em um dos vários bares com shows de música ao vivo do Centro Histórico de Paraty. Hoje já existe um número razoável de boas pousadas em Trindade, prefira uma à beira-mar, tomar café da manhã com aquele visual não tem preço. À noite sempre rolam umas rodinhas de violão na rua principal, praticamente a única rua lá, e uma feirinha de artesanato. Os restaurantes são simples, mas a comida é boa e razoavelmente barata. Há postos de saúde e apoio ao turista, além de oficina mecânica. As principais praias são Cepilho, logo na entrada, ideal para surf, Praia de fora e dos Ranchos, onde estão a maioria das pousadas, Praia do Meio, essa aí da foto, onde existem umas barracas legais com bebidas, petiscos e espreguiçadeiras. A partir da desta, pega-se uma trilha tranqüila para a bela  Praia do Cachadaço, e de lá, uma outra trilha leva até as famosas piscinas naturais, também da pra pegar uma lancha a partir da Praia do Meio, mas caminhando é mais bonito. Vá a Trindade e seja feliz! Sugestão de pousada: Pousada do Pelé, na beira da praia, visual muito show.

+Fotos e dicas de Trindade

 

Serras

O Rio de Janeiro não se resume a praias. Ao sul ou ao norte, as cidades serranas são um show à parte. Conheça algumas delas.

 

Conservatória

Só mesmo visitando Conservatória você entende porque este pequeno distrito de Valença tem sido receitado como tratamento medicinal, o alto astral do lugar contagia os visitantes. A Cidade da Seresta, como é mais conhecida tem diversas atrações, e para todas às idades. Um passeio por suas ruas com calçamento de pedra e casario colonial, impecavelmente conservado, já é uma grande atração. Embora muitos não saibam, suas ruas são conhecidas mundialmente, pois foram usadas como cenário de novelas como “A escrava Isaura” e “Sinhá Moça”. Ali concentram-se dezenas de lojas de artesanato e restaurantes que misturam o melhor da culinária mineira e carioca, isso porque a cidade fica estrategicamente localizada entre MG e RJ. Destaque ainda para os museus Vicente Celestino, Silvio Caldas, da Seresta, a Estação Ferroviária, inaugurada por D. Pedro II em 1883, e a antiga locomotiva que outrora puxava vagões de passageiros e a produção de café, e que hoje serve de cenário para fotos dos visitantes. Não deixe de visitar a Igreja de Santo Antonio, de 1868, toda em cantaria com largas paredes de 1,6m de espessura. A mesma abriga um museu sacro com um acervo impressionante, onde um funcionário explica os detalhes de cada peça exposta. A região abriga ainda fazendas centenárias da época áurea do café, como a Santa Clara, cenário da novela Terra Nostra, Florença, e São João da Prosperidade. Nas redondezas ainda há outros pontos turísticos que merecem ser visitados, como a Serra da Beleza, Ponte dos Arcos, Túnel do Capoeirão, Cachoeiras do Ronco d’água, da Índia, e claro, o “Túnel que chora” na entrada da cidade. Mas é mesmo de 6ª a domingo que a cidade se revela, quando os seresteiros se reúnem para encantar os moradores, e principalmente os turistas com animadas rodas de violão e voz. A maior atração da cidade ocorre à noite, quando às 23h sai do Museu da Seresta a famosa “serenata”. Os intérpretes saem pelas ruas visitando casas e sobrados com nomes de músicas para cantá-las, homenageando os moradores e os visitantes que os acompanham em uma verdadeira procissão musical. 

Algumas Dicas: As estradas de terra nos arredores de Conservatória não são boas, prefira contratar um guia com um carro 4×4 para conhecer a região. Não deixe de levar um legítimo queijo de minas do seu Edésio, a casa dele é no nº 90, na rua da Igreja Matriz (Santo Antonio). Imperdível também é a roda de chorinho que acontece aos sábados a partir das 11h na galeria “Vila Antiga”. Para comer e ouvir uma boa roda de seresta, as dicas são os restaurantes “Aconchego” e “Dó-Ré-Mi”. Existem muitas pousadas, mas a maioria é pequena, e a cidade vive lotada, então, reserve com antecedência. Dica: Pousada Três Corações, lugar tranqüilo e perto do centro, com excelente atendimento. Conservatória fica a aproximadamente 145Km do Rio, a maior parte do trajeto é pela rodovia Pres. Dutra. O caminho é fácil, e bem sinalizado, mas atenção somente quando passar pelo centro de Barra do Piraí pra não pegar o caminho errado. Tem uma ponte em arco bem no centro da cidade que você deve atravessar, e depois seguir sempre em direção a Belvedere da Taquara. A partir daí há placas para chegar a “Conserva”. Se tiver tempo, dê uma parada nas simpáticas cidades “Piraí” e “Ipiabas“. 

+Fotos e dicas de Conservatória.

 

Lumiar e São Pedro da Serra

Lumiar e São Pedro da Serra são vilas de colonização suiça localizadas na serra fluminense, só que ao norte. As marcas da colonização estão por toda parte, seja na arquitetura, comidas, e até mesmo nas pessoas. Com cerca de 700m de altitude são bons lugares para curtir um frio mais intenso no inverno, e uma temperatura mais agradável no verão. Ambas fazem parte do município de Nova Friburgo, outro destino muito conhecido na serra. Tanto em Lumiar como em São Pedro, o programa é conhecer e tomar banho nos rios e cachoeiras, fazer caminhadas e cavalgadas pelos vales e montanhas, além de curtir a noite nos simpáticos restaurantes, caminhando pelas praças, e prestigiando o artesanato local nas muitas lojinhas.

 

Algumas Dicas: A voltagem lá é 220V, fique atento. Mesmo no verão, faz frio à noite. Por isso, não deixe de levar um agasalho. Em feriados prolongados, se você estiver vindo do sul, evite o acesso pela Ponte Rio-Niterói por causa dos longos engarrafamentos, prefira ir pela Rodovia Washington Luiz, o acesso é em Parada Modelo (mapa de acesso). Não existem bancos ou caixas eletrônicos, previna-se. Os  celulares já funcionam bem em Lumiar e em São Pedro. Se chover, e se seu carro não é 4×4, não tente atravessar lamaçais, melhor contratar um serviço de Jipe, havia um lá. A boa notícia é que a estrada Serra-Mar foi asfaltada, e agora você chega facilmente ao “Encontro dos Rios” e outras atrações ao longo da mesma. Pousadas, existem muitas, as mais afastadas do centro de Lumiar me pareceram melhores, mas isso não é regra. Em São Pedro, tanto pelo centro como um pouco mais longe, vi boas opções, mas vou deixar você escolher. Dica de Pousada em Lumiar: Caminho das Candeias, a apenas 1,5Km do centro fica em um local muito agradável, tem ótima infra-estrutura e excelente atendimento. Dicas de Passeios: Pela estrada Serra-Mar, a partir do centro em direção a Casemiro de Abreu: Km 1,4 - Barravento – ótima praia de rio. Estacionamento e bar no local. Km 2,8 - Pedra Riscada, um dos cartões postais de Lumiar. Km 3,3- Poço Verde – o rio abre e forma uma ótima área de banho, acesso principal por “propriedade particular”,; também tem um bar no local. Km 5,7 - Encontro dos Rios – várias áreas de banho, antes e depois da ponte, mas cuidado com a correnteza em alguns pontos. Também é point do pessoal que curte canoagem. Passando pela ponte há uma bifurcação, para a direita, para quem tem espírito de aventura, segue-se por 4 Km de estrada de terra estreita e esburacada até a Toca da Onça, outro belo “point” a beira-rio, a esquerda, bem mais light, cerca de 400m, chega-se ao Bar do Claudir, onde em frente forma-se uma ótima área de banho com um visual incrível, além de um mirante. Do centro em direção a Boa-Esperança, por estrada de terra também tem uns “points” maneiros, como as cachoeiras Poço Belo, Poço Mágico, Indiana Jones e São José, e em direção a Mury, Poço Verde, Poço Feio, Andorinhas e Poço Quadrado. Restaurantes: Bar do Vovô, bom pra noite, tem petiscos e música ao vivo; Restaurante Lumiar, ótima picanha e caldo verde; fogão à lenha, Restaurante Casa Velha e Tutu e Torresmo, todos no centro. Se quiser mais opções, a dica é subir para São Pedro,  mas cuidado com a estradinha estreita e cheia de curvas, principalmente à noite, pois não há iluminação.

+Fotos e dicas de Lumiar

 

Penedo

Localizada no interior do Rio de Janeiro, na cidade de Itatiaia, é uma vila fundada por filandeses. Penedo parece de brinquedo, suas casas seguem o estilo filandês , com jardim florido e cerca baixa. Nos últimos anos a cidade recebeu muitos investimentos no setor de turismo, o que fez aumentar muito o número de lojas, pousadas, e claro, turistas. Quem vai, se encanta com tudo, clima, montanhas, rios e cachoeiras, gastronomia, pousadas e lojas. A Pequena Finlândia é uma atração à parte, com suas lojas de artesanato e restaurantes, além da famosa Casa de Verão do Papai Noel, que atrai crianças e adultos. A Rua da Gula também é muito procurada, o nome já diz tudo. A gastronomia do local é irresistível, são trutas com os molhos mais variados, carnes, massas, chocoloterias, doces, e o famoso sorvete finlandês.

 

Algumas Dicas: Visite as cachoeiras de dia e curta à noite no centro. Não faltam boas opções de hospedagem em Penedo, você pode optar em ficar mais perto do centro com a vantagem de poder sair a pé à noite, o que é uma boa, visto que o estacionamento lá é complicado, ou ficar mais para o “Alto de Penedo”, clima de montanha, e bem mais sossegado. Não deixe de saborear uma truta, peixe típico desta região, um bom fondue, e os infinitos sabores do delicioso sorvete finlandês. Há ótimos restaurantes, recomendo o Bucanero e a Casa do Fritz. Uma visita à Casa do Chocolate também é programa obrigatório, é a chocolateria mais antiga e tradicional da vila. Uma dica maneira é esticar o passeio até o Parque Nacional do Itatiaia, é bem perto e vale à pena, o parque é lindo. Mauá também não é longe, mas merece mais que um dia, além da estrada ser ruim para carros de passeio.Sugestões de Pousadas: Trilha - Simpática, agradável, bem localizada, em frente as Três Cachoeiras, é uma opção simples e barata. Já a Teto Doce, mais afastada, Alto de Penedo, é muito agradável, mais sofisticada, e também mais cara, mas existem muitas outras boas opções.

 

Petrópolis

Petrópolis é mais um destino de inverno no RJ, localizada a apenas 65Km da capital, e a 809 m de altitude, tem clima ameno com temperatura média de 22ºC, mas que cai bastante no inverno. A cidade é um prato cheio para quem gosta de história, belas paisagens e clima de montanha, mas não dispensa uma boa infra-estrutura. A cidade   conserva  várias  construções  coloniais, onde  em algumas delas funcionam museus, centros culturais, hotéis e restaurantes. Outras construções não tão antigas, como o Quitandinha e a casa de Santos Dumont, reservam surpresas imperdíveis aos visitantes. Petrópolis também é muito conhecida por ser um importante pólo comercial, principalmente de roupas e acessórios. Destacando-se  aí  a  famosa Rua Teresa,  um  verdadeiro shopping a céu aberto, e o bairro de Bingen.

Algumas Dicas: Não deixe de conhecer o Museu Imperial (1845), instalado no Palácio de Verão de D. Pedro II, onde conhece-se um pouco da história da Família Imperial Brasileira e do Segundo Reinado. À noite, se o tempo perimitir, rola o famoso show Som e Luz, do lado de fora do museu, onde é contada a história de D. Pedro II com a ajuda de um sofisticado sistema de projeção. Procure saber da programação do Palácio de Cristal, normalmente rolam ótimos shows, e melhor ainda de graça. Imperdível também é fazer uma visita guiada pelos salões do Quitandinha (1944), a grandiosidade do local nos leva a uma verdadeira viagem no tempo. Os guias são antigos funcionários do local, e passam a história com riqueza de detalhes e muita emoção. Tudo é grandioso, da piscina ao salão onde funcionou o cassino. Poder entrar, por exemplo, no  teatro onde eram filmadas as produções da Atlântida nos remete ao que deve ter sido viver àquela época. Não deixe de visitar a “Encantada“, casa de Santos Dumont, lá você verá em detalhes a engenhosidade deste brasileiro. Aproveite para apreciar o relógio de flores, bem em frente, e também a Catedral São Pedro de Alcântara. Petrópolis também tem espaço para quem gosta de aventuras, dá para fazer cavalgadas, trekking na área do Parque Nacional da Serra dos Órgãos, rapel, escalada, rafting, e até vôo livre.Sugestão de Pousada: 14 Bis, simples, mas em local agradável, com ótimo atendimento, além de uma decoração muito bem transada, inspirada no pai da aviação. Existem muitas outras boas opções espalhadas pela cidade, não deixe de conferir. A cidade ainda tem um belo calendário cultural, com festivais como o de inverno e festas típicas como a Bauernfest (Fotos da Bauernfest 2007).

+Fotos e dicas de Petrópolis

 

Sana

Sana é um paraíso encravado entre a serra e o mar ao norte do estado Rio, um lugar muito alto astral repleto de pessoas idem. Rola um certo misticismo no ar, se bobear você pode até esbarrar com algum gnomo por lá (rs), é um lugar mágico. Dizem que foi lá que Raul Seixas fundou a tal sociedade alternativa; indo até lá você vai entender porque. São várias cachoeiras, montanhas e vales lindos, é um lugar pra quem curte natureza e paz, lugar para  ir e
voltar várias vezes. O forte do Sana é a natureza, o arraial é simples e as melhores pousadas estão um pouco afastadas do centro, prefira uma das que ficam ao longo do rio, que por sinal é ótimo para lavar a alma.

Algumas dicas: O melhor caminho para chegar ao Sana é a BR-101, o acesso é em Casimiro de Abreu, ao lado do posto de combustível “Duas Pátrias”. Falando em posto, não lembro de ter visto algum por lá, então é melhor abastecer em Casimiro. De lá até ao arraial são 25km pela estrada Serra-Mar, já asfaltada. Sana é um arraial bem simples, lá você não vai encontrar bancos, nem 24hs, portanto leve dinheiro. Cartões são aceitos em alguns estabelecimentos, mas são alguns mesmo, até porque não existem muitos. Esqueça o celular, quando estive lá não tinha sinal, mas tem alguns “orelhões” pela cidade. Se você toma algum remédio, melhor não esquecê-lo porque a farmácia é pequena. Percebeu que o comércio é simples, né? Então não espere encontrar restaurantes chiques com serviços de 1ª, os de lá são simples, mas a comida é boa. Não fui em todos, mas o “Alquimia”, no centro é uma boa opção. Rola um “rafting” legal quando o rio Macaé está cheio, procure a “Canoar“, e também não faltam opções para quem gosta de “trekking”. Sugestão de Pousada: Repousada, tem chalés bem legais a beira-rio. Bom, é isso aí. O resto você descobre sozinho, e NO STRESS.

+ Fotos e dicas de Sana

 

Visconde de Visconde de Mauá

Visconde de Mauá, ou simplesmente Mauá para os íntimos, está encravada na Serra da Mantiqueira, em uma área de preservação ambiental (APA) entre os estados do Rio de Janeiro e Minas Gerais, é um distrito do município deResende. Apesar de todo mundo dizer que foi ou vai para Mauá, a região é formada por três vilas principais, Mauá, Maringá e Maromba, e seus diversos vales, como Vale das Cruzes, Alcantilado, Pavão e Grama. Basicamente, Mauá acompanha o traçado do Rio Negro, e é a porta de entrada para quem vem do RJ (200Km) ou SP (300Km), possui boa infra-estrutura, como farmácia, caixa-eletrônico (Itaú), Correios, algum comércio, além de  pequenas pousadas e restaurantes. Maringá (do Rio e de Minas) é a vila mais agitada e com melhor infra-estrutura de pousadas, restaurantes e comércio em geral, também é ponto de partida para as principais atrações naturais da região, como o Vale do Alcantilado e região de Santa Clara, também conhecida como berço das águas. Mais à frente, você vai encontrar Maromba, a mais descolada das vilas, foi reduto hippie nos anos 70, e continua com um astral muito bom. Maromba é passagem obrigatória para a Cachoeira do Escorrega, a mais famosa da região. Lá também tem uma pracinha muito maneira, onde se concentra o comércio, com um artesanato que é show. Também não falta uma rodinha de violão ao redor de uma fogueira para aquecer as noites frias da região.

Algumas Dicas: A altitude média de 1200m faz com que Mauá tenha um clima ameno durante o ano (18º em média), e muito frio no inverno, dependendo do lugar, até neva. Leve sempre um bom agasalho, mesmo no verão. Se for ficar em pousada, não dispense a lareira no inverno. Leve dinheiro, pois nem todas as pousadas e comércio de uma maneira geral aceitam cartões. Não deixe de experimentar as trutas, fondues e chocolates da região, tudo muito gostoso. Em Maringá compra-se bons agasalhos e outros acessórios de frio por um precinho maneiro. No caminho para Alcantilado tem o Museu Duas Rodas com mais de 90 motos e bicicletas em exposição, inclusive a moto mais antiga do país. Não deixe de conhecer as cachoeiras, principalmente Santa Clara, Escorrega, Véu de Noiva, Alcantilado e Fumaça. Mauá também tem espaço para quem gosta de adrenalina na veia, tem arvorismo no caminho para o Vale do Alcantilado, “bóia-cross” nas corredeiras, rapel, tirolesa, “down hill” de bike, canoagem, caminhadas leves e pesadas, “off-road”, etc.  A “estradinha”, 34 Km (RJ 163), merece atenção especial, não só pelas belezas que se pode ver lá de cima, mas também por ser estreita, sinuosa e pelos seus últimos 15Km que são de cascalho. Atenção redobrada em dias de chuva, não é raro ver carros quebrados pelo caminho. Cuidado também na “estrada” (RJ 151) que interligas as vilas, a conservação deixa a desejar. Mas cá pra nós, Mauá é lugar para desestressar, então nada de pressa. Sugestão de Pousada: Araucárias, em Maringá, tem ótimos chalés com lareira em uma ampla área verde muito bem cuidada, destaque também para o generoso café da manhã e a simpatia do atendimento.

+Fotos e dicas de Mauá

 

Nota Importante: Nós não íamos incluir links de pousadas e outros estabelecimentos comerciais neste site, pois não conhecemos todos, e além disso, muitos deles aparecem, trocam de nome, de dono ou somem de uma hora para outra. Porém, atendendo a pedidos dos visitantes, principalmente solicitando dicas de pousadas, passaremos a incluí-los. Entretanto, só vamos incluir estabelecimentos onde estivemos e gostamos, ou que no mínimo nos passaram muito boa impressão.

 

One Response to Arredores

  1. Pingback: Carnaval de antigamente ainda existe.. | Rio em Fotos e Dicas

Deixe uma resposta